sábado, 4 de dezembro de 2010

Dois Sacanas: Carlos Drummond de Andrade e Eu



Pensamento Satânico

"Satânico é meu pensamento a teu respeito, e ardente é o meu desejo de apertar-te em minha mão, numa sede de vingança incontestável pelo que me fizeste ontem. A noite era quente e calma, e eu estava em minha cama, quando, sorrateiramente, te aproximaste. Encostaste o teu corpo sem roupa no meu corpo nu, sem o mínimo pudor! Percebendo minha aparente indiferença, aconchegaste-te a mim e mordeste-me sem escrúpulos.
Até nos mais íntimos lugares. Eu adormeci.
Hoje quando acordei, procurei-te numa ânsia ardente, mas em vão.
Deixaste em meu corpo e no lençol provas irrefutáveis do que entre nós ocorreu durante a noite.
Esta noite recolho-me mais cedo, para na mesma cama, te esperar. Quando chegares, quero te agarrar com avidez e força. Quero te apertar com todas as forças de minhas mãos. Só descansarei quando vir sair o sangue quente do seu corpo.
Só assim, livrar-me-ei de ti, pernilongo Filho da Puta!!!!"

Carlos Drummond de Andrade


Ela e o Austin

Aproximei-me sorrateiramente e ainda pude ver o meu amor arrastando o Austin, pelo braço, para o nosso quarto. Naquele corpo-a-corpo pude ver o Austin o tempo todo de boca aberta.
Mantive-me à espreita pra não interromper aquela relação cheia de vibrações. Sentaram-se à nossa cama e meu amor, querendo obter a nota máxima, colocou o Austin no seu colo confortavelmente. Encaixou a sua coxa na cava do Austin e o abraçou. O Austin até então mudo, ao ser tocado e esfregado, soltou gemidos sonoros. A tensão foi aumentada e o instrumento, manipulado com muito intimidade e rapidez, pelas mãos de meu amor, esticou-se ao limite máximo. O corpo de ambos soavam... os trastes se comprimiam... Sem saber, aqueles dois, em todas as posições possíveis, tocavam uma pra mim, então tive que interromper o meu gozo de satisfação com intermináveis palmas...
Meu amor, minha ave canora, tanto que podia ter um violão Austin, legitimo espanhol, mas tem um made in China.

PS: Sem contar que depois de tanto êxtase o Austin vai pra dentro do armário!
Aristeu Nogueira Soares

3 comentários:

Marcos disse...

É empate. Isso porque ainda estou me deixando levar pela fama do Drummond.

Aristeu disse...

O ATO DE MANIPULAR O INSTRUMENTO RIJO, BUSCANDO EXTRAIR-LHE O LÍQUIDO PRECIOSO, NUM CONSTANTE VAI-E-VEM DA MÃO E CONCENTRAÇÃO DA MENTE, PODE TRANSFORMAR-SE EM PRODUTO DE GOZO MÚLTIPLO DE PRAZER, VIAGEM OU ÊXTASE - A ISTO DÁ-SE O NOME DE ESCREVER COM ESFEROGRÁFICA.

Unknown disse...

Excelente Aristeu! Minha mente poluída traiu-me deixando pensar alto: o Aristeu finalmente errou e grafou "soavam" enquanto corpos deveriam suar...
Kkk abestado que sou, vi, não tardiamente, que se tratava de um violão.
Excelente leitura...

Postar um comentário