sexta-feira, 26 de novembro de 2010

A diretora Lêda



O Ledor

A Escola é uma Igreja
Veja bem por qual razão:
É um Céu de conhecimento
E tem anjinhos de montão.
Tem a Pública e a Privada
Enchendo nossa bagagem,
Mas o destino do ensino
É a eterna aprendizagem.
E o preço da passagem
Nessa tão grande viagem?
Dinheiro não é paga
À tonelagem dessa carga.
Aproveite o quanto possa
A beleza da paisagem.
Fui aluno muito pobre,
Mas aprendi a lição
No caminho lá do Grupo
Com perfeita exatidão
Desenhava meu pezinho
Na poeira pelo chão.
Um conselho, oh fedelho,
Para a sua abolição
É amar a leitura
E nela por dedicação.
Lê de tudo quanto possa,
Pois é essa a solução;
Há quem lê da mão nossa
O futuro da Nação.
Lê da Escritura a verdade;
Lê da Cartilha o Bê-a-bá;
Lê da Lei o inocente;
Lê da vida o que há.
Lêda, cara Diretora,
Que não quer se aposentar,
A ânsia por mudanças
Do Brasil... do seu mundinho...
Através de uma criança
Mantém viva a esperança
Que rosas não dão espinhos
Do Jardim da nossa infância.

1 comentários:

Marcos disse...

Mais uma obra de arte assinada pelo mestre Aristeu.
Pena que, apesar de estudar no mesmo Grupo Escolar (São Judas Tadeu) que o Aristeu, eu não era um apaixonado pela leitura. Se pudesse começar tudo de novo, seguiria o conselho do poeta.

Postar um comentário