segunda-feira, 10 de maio de 2010

Para deleite dos meus pecados


A coisa que mais detesto, mas que não deixo de fazer, é ferver o leite, pois raras são as vezes que o mesmo não transborda. É uma agonia aguardar a fervura e minha mente dispersa se perde na atenção devida. Então, enquanto ele fervia, fui compondo estes versos.

Enquanto o leite ferve

Tem gente que não desiste
E que moram no mundo inteiro.
Pode-se dizer em riste:
Não é só coisa de brasileiro!

Eu queria poder desistir
De coisas que me aborrecem,
Mas acabo por investir
Por tantos que não merecem!

Eu queria votar nulo,
Mas volto sempre a acreditar.
Até sapo eu engulo
E nem penso em vomitar!

Tenho festas e feriados,
Futebol e carnaval,
Imposto de renda adiado
E Gratificação de Natal!

Por causa de um Tuma Pai
Nos lascamos com Tuma Filho
Jogue pedra quem não trai...
Somos trem fora dos trilhos!

Esta é minha Nação.
Floresço onde Deus plantou.
Sou a nata do caldeirão
Que primeiro derramou.

6 comentários:

natal fernando disse...

Seu Aristeu às vezes que fui obrigado a ferver leite tivemos em casa muito prejuízo, logo achei uma vazilha com uma válvula que apita quando o leite ferve. Assim, usei muito essa máquina de alumínio e hoje nem sei se ainda existe mas vou procurar uma para o senhor. É claro que tenho a certeza de que essa desculpa para fazer poesia poderá ser resolvida e o senhor vai continuar a encontrar outras oportunidades para mostrar seu telento literário, dessa forma esse presente não vai prejudicar a comunidade acadêmica...

natal fernando disse...

Ainda para seu deLeite e antes da chegada da vasilha (com "s"), repasso mais essas dicas internéticas:
Preciso ferver o leite? Por quanto tempo? Se for "longa vida", não há necessidade de ferver. O leite fresco deve ser fervido por pelo menos três minutos e pode ser conservado em geladeira por um dia.
Outras dicas:
1. Antes de ferver leite, enxágüe a leiteira com água fria e não enxugue. Assim, o leite não ficará grudado no alumínio, facilitando a lavagem da vasilha.
2. Para que o leite não absorva os outros odores da geladeira, guarde-o sempre numa vasilha tampada.
3. Se você colocar um pires virado com a boca para baixo dentro da leiteira, antes de levar ao fogo, o leite não transbordará quando ferver.
4. Você também evitará que o leite derrame, ao ferver, se colocar uma colher dentro da leiteira.

Aloisio Nunes de Faria disse...

Discordo!

Você é a rapa, o que sobrou de bom agarrado no fundo da panela. para dar exemplos de vida.

Marcos disse...

Essa é novidade. Fazer bela poesia enquanto o leite ferve, por si só, justifica o seu ingresso na ABL (não confundir com Associação Brasileira do Leite).
Como já vi o senhor fazer poesia enquanto conversava comigo no msn, me restaram algumas dúvidas: quantos versos podem ser feitos durante um jogo (sem graça, obviamente) do flamengo? Ou durante o programa (igualmente sem graça) da Ana Maria Braga? Ou, quem diria, durante o ato sexual (sem o uso das mãos e da mente, obviamente)?

Marilia Cunha disse...

Além de Tuma Pai e Tuma Filho, tem Sarney Pai e Sarney Filho, Lula Pai e Lulinha Filho, um fenômeno na arte de enriquecer sem fazer força. Vivem todos aprontando por aí, e tudo se perde na névoa do tempo e na força do poder.Baitas sapos engolimos, só com um única diferença: eu vomito...Arghhh!

Aristeu disse...

Marcos, meu amigo primeiro,
Eu, como tantos "poeteiros",
Preciso muito da mão,
E também da inspiração,
Pra não ficar disperso
Tanto na frente ou no verso!
O Flamengo quando joga
Parece me até droga:
Sou dependente de sobra
E até urubu me empolga.
Sou "Mais Você" que a Ana.
O Louro não dá nem o pé.
Fazer poesia na cama?
Só quando o tesão não tiver.

Postar um comentário