sexta-feira, 7 de maio de 2010

Faltam dias ou sobram planetas? Saudades de Plutão


SEMANÁRIO

dies dominica – Dia do Sol - (Sunday)

O tempo é algo sempre renovado
Que se esvai sem ter que se acabar!
É uma convenção ou tratado
Que tem um marco pra se iniciar.

Dia de Lunes - Segunda - (Monday)

Primeiramente o dia surgiu pra mensurar
O aparecimento e a ocultação do astro-rei.
Um ciclo para o homem se inquietar
E de se sujeitar às suas divinas leis.

Dia de Miércules - Terça

Foi Deus que fez trevas e luz
Dando-se assim o primeiro dia.
No sexto, todos os homens nus,
Vestem-se da eterna tecnologia.

Dia de Vênus - Quarta

A sombra foi fértil ponteiro,
As estrelas, grande mostrador;
A areia da ampulheta o pêndulo primeiro
E o césio o atualíssimo medidor!

Dia de Martes - Quinta

Na grande aventura dos humanos
O calendário começou com riscos em ossadas.
Está presente há dez mil anos
E hoje eletronicamente em agendas lotadas.

Dia de Júpiter - Sexta

Astrolábio, Gnômom e clepsidra - estranhos nomes
Que originaram os relógios de todas as eras,
Mas o ano-luz tem sido aos homens
A grandeza de distância e tempo que jamais zera!

Dia de Saturno - Saturday

A terra ficou pequena e o Céu maior,
Então persistirá nosso marcador gregoriano?
O sino da Escola e da Igreja é o badalo melhor,
Pois nos basta enquanto nos tira dos enganos.

1 comentários:

Ianis disse...

Sunday bloody sunday, "die" dominica ?!
Marco a reiniciar ?!

Afinal, onde mesmo foram com o nosso Plutão parar ...

Plutão tem algo a ver com Ciência Política ?!

Ah... sim, é Platão!

Se algum dia, desta atmosfera me livrar, antes, sem sombra alguma, sequer de dúvidas, vou meu giroscópio calibrar.

;-)

Postar um comentário