quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Esta carta não foi impressa e meu irmão perdeu. Uma coisa não tem nada a ver com outra

Meu irmão é candidato!

Confesso quase ter desistido da Política, mas desta vez meu irmão é candidato! Qual irmão? O melhor dos oito que tenho. Pra ele eu tiro o chapéu e curvo-me perante a sua dignidade. Sou um péssimo eleitor porque, como tantos, não conhecemos os candidatos em sua plenitude. Este meu irmão eu conheço. Eu o recomendo, mas não levará meu voto, pois voto num município diferente de Araguari. Pelo menos parodiei um verso de uma música de Gean e Giovani para servir-lhe de jingle na Campanha. Noutros tempos a gente transferia o Título Eleitoral, mas foi uma candidatura relâmpago e o cidadão deverá sempre votar onde mora.
Dou a mão à palmatória com meus eleitos noutros pleitos, mas não tinha opções em meu irmão. Em Brasília eu fui eleitor de Roriz. Que vergonha! Você poderá estar rindo neste momento, mas ele era um político muito religioso. Vivia nas igrejas. Mal sabia eu que o renunciante quase cassado devia é estar pedindo perdão pelos pecados cometidos diuturnamente. Eu tinha mesmo era muito carinho com sua esposa, pois uma vez ela me deu um caminhão de cestas básicas e brinquedos pra distribuir com os pobres da Vila Estrutural. Esta foi a razão da minha cegueira. Explico, mas não justifico!
Ia me esquecendo: Meu irmão é candidato! Ele sempre foi meu amigo preferido. Ele morria de medo de alturas e acabou vivendo aventuras eletrizantes como bombeiro militar. Este sargento, de pronto atendimento, sempre protegeu os velhos e os animais. Ele está muito bonito enfeitando o santinho do Partido 31 e, com certeza, arrebatará muitos corações. Este tal Partido Humanista da Solidariedade, do qual nunca havia me inteirado, tem as iniciais muito parecidas com as iniciais do nome do meu irmão: JHS. A Igreja Católica usa estas iniciais com o seguinte significado “Jesus Homem Santo” e eu, sempre o adotei para designar meu irmão de José, Homem Santo!
Na Eleição passada, sua primeira vez candidato, e que eu distante nem soube, obteve uma votação inexpressiva, mas que o deixou suplente. Desta vez há mais ânimo, embora continue faltando dinheiro, principalmente porque está próxima a sua inativação militar e poderá dedicar-se ainda mais ao Serviço Público no qual se prontifica de corpo e alma.
Ele é muito bom no que faz. Muito jovem foi engraxate, ajudante de feira livre, trabalhador rural e atendente de bares e restaurantes. Trabalhei com ele em muitas destas ocupações, principalmente no “Bar do Bolinha” e no Zezinho do Bar Napolitano. Serviu o Exército e foi meu melhor subordinado. Chegou a cabo mecânico de equipamentos pesados. Ironia pura, pois é muito superior a mim.
Meu irmão é candidato! Foi herói a vida inteira e não virará bandido agora. Na urna eletrônica digitaria eu, às cegas, o número do bombeiro e sei que seria salvo destas bandalheiras em uma pronta ação, como sempre.
Meu irmão é candidato e, se nossa mãe fosse sua adversária, eu ainda votaria nele!

1 comentários:

Marcos disse...

Já é campanha para 2012? Cuidado com a Justiça Eleitoral...
Brincadeiras à parte, não há como deixar de concordar com o Aristeu. O simples fato de o Zé Humberto ser irmão dele já o recomenda. Além disso, tive a honra de ser colega de escola do Zé no começo da década de 70. Apesar de trilhamso caminhos diversos e distantes um do outro, sei do bom cárater do Zé. Com certeza, ele ainda será um bom representante do povo na Câmara de Vereadores. Também com um Subtenente eleitoral do porte do Aristeu...

Postar um comentário