sexta-feira, 4 de setembro de 2009

DEUS É MECÂNICO


Peça e receberás

No nosso viver, vez por outra, temos nas mãos provas dos cuidados dispensados pelos céus por nós. É bem verdade que não são milagres grandiosos como a abertura do Mar Vermelho ou o tombamento dos muros de Jericó, mas a cada um é dado conforme sua necessidade. Se para os seguidores de Moisés era necessária uma grande proeza, foi lhes dado tal, pois a fé naquela hora era nula.
Fazia eu parte outrora de um movimento magnífico da Arquidiocese Militar do Brasil. O nome deste movimento era ou é “Pastoreio Militar”. Muito parecido e copiado dos Encontros de Casais, Segue-me, etc. O objetivo principal é formar no seio da família militar alguns que poderiam levar a Palavra dia a dia aos irmãos de farda. Militar cristão, este é o brasão. As equipes que promoviam o encontro eram formadas com três meses de antecedência. O encontro durava de sexta-feira à noite às oito horas da noite de domingo e participavam como encontristas em torno de cento e vinte pessoas e o mesmo número para encontreiros. Encontrista é aquele que faz o encontro e encontreiro é aquele que promove o encontro, exatamente como em todos movimentos católicos. Bem, fui designado para a equipe da Tesouraria. Tal equipe é responsável por toda compra do Encontro e as saídas para a Equipe da Cozinha são inúmeras. A Equipe ainda monta um bazar com vendas de lanches, livros, lembrancinhas e refrigerantes no horário das refeições. É uma equipe pequena e de atribuições enormes. Quando comprovei minha presença nesta equipe senti um calafrio. As finanças não andavam bem. Minha Belina estava com o consumo de cinco quilômetros por litro de combustível. Tudo corre pelo voluntarismo e as distâncias percorridas com a “Belinosa” (era este o nome que meu cunhado pôs no meu veículo) seriam por minha conta. Já havia feito uma peregrinação por inúmeras oficinas mecânicas e ninguém conseguiu descobrir e sanar a causa do exagerado consumo. Certa hora, num bate papo com Jesus fui taxativo: “Olha, Senhor, estou trabalhando para o Senhor. Meu carro está consumindo muito, mas tenho fé que iniciarei este trabalho com meio tanque e no término estarei com o tanque cheio sem ter abastecido.” Parece blasfêmia, mas fui sincero e de certo modo isto aconteceu. Não foi exatamente como pedi, mas aquele carro que antes consumia o litro em apenas cinco quilômetros passou a rodar o dobro com o mesmo litro de álcool. Para mim foi mais que suficiente para renovar minhas forças e continuar procurando servir à messe do Senhor. De lá pra cá tenho dito e testemunhado que Deus é mecânico também.

1 comentários:

Marcos disse...

É isso aí! Deus não nos dá sempre o que lhe pedimos, mas com certeza nos concede aquilo e exatamente aquilo de que necessitamos.

Postar um comentário